A vida do Zuckerberg não está fácil nos últimos dois anos. Além disso, falo sobre o Growth Summit BR, o SaaStr 2018 e o caminho para o exit.

Oi,  ,

Tudo bom?

Sempre recebo emails de gente querendo apresentar uma ideia para ACE. O caminho padrão para isso é preencher o formulário de inscrição para nosso processo, mas quem prefere ter um contato pessoal pode participar de alguma edição do Open Mic.

No começo de março, quem vai ter essa oportunidade é o pessoal de Curitiba. Vamos abrir o microfone por lá no dia 6 de março - e as inscrições já estão abertas.

Aproveite, porque quem comanda o evento por lá é o José Gutierrez, chefe de recrutamento da ACE.

# O inferno de Mark

 

A edição deste mês da revista Wired traz uma grande reportagem sobre os problemas enfrentados pelo Facebook nos últimos dois anos. Foram feitas mais de 50 entrevistas para montar um texto de mais de 11 mil palavras sobre as dificuldades que a empresa tem tido para lidar com problemas como as fakenews e a interferência dos russos na eleição norteamericana.

É uma leitura longa, mas que vale muito a pena para todo mundo que empreende, tanto por mostrar os perigos de você subestimar problemas, como por mostrar as formas como a empresa escolheu lidar com eles.

A preocupação com os efeitos que as crises geraram na imagem da empresa e de seu fundador, Mark Zuckerberg é tanta, que a empresa contratou alguém exclusivamente para monitorar como o CEO é visto pelos americanos. E faz sentido: Mark detem 60% das ações com direito a voto do Facebook e sua imagem pública é profundamente ligada à da empresa.

# Me inclua fora dessa

Falando em Facebook, o inferno astral da empresa talvez esteja longe de acabar. Essa semana, a chefona da área de marketing da Unilever, Keith Weed, fez um discurso dizendo que a empresa considera seriamente cortar os recursos que investe na plataforma e no Google, caso as empresas continuem contribuindo para as divisões na sociedade.

Não é a primeira vez que essa possibilidade é aventada. Ano passado, empresas como a P&G anunciaram redução nos volumes investidos em anúncios online, por não acreditar que eles compensem o valor investido.

Na onda contra as fakenews, não são só os anunciantes que estão com um pé atrás com o Facebook. A Folha de S.Paulo anunciou no fim da semana passada que deixaria de compartilhar suas notícias na plataforma, por conta das mudanças feitas no algoritmo que prejudicaram a entrega de conteúdos noticiosos.

# Growth Summit

midia-growth---chamadageral-copiar-2.png

Semana passada a ACE e a Bossa Nova anunciaram o Growth Summit BR e a procura pelo evento surpreendeu até a nós mesmos. O primeiro lote que disponibilizamos acabou em um dia - e a busca pelos ingressos segue alta.

Se você ainda não viu o que é o Growth Summit BR, te recomendo muito que dê uma olhada no site do evento, que acontece no dia 10 de abril, aqui em São Paulo.

Como já vimos muito conteúdo voltado para quem está começando uma empresa, resolvemos focar em quem já sabe o que é crescer e agora está enfrentando os dilemas de manter o ritmo e se tornar uma empresa gigante.

Entre os palestrantes vão ter grandes nomes, como o pessoal da Exact Sales, da Resultados Digitais, da Basf, da Embraer e os investidores Marco Poli e Cassio Spina. Vai ficar fora dessa?

# Detalhes do SaaStr

Ver de perto as principais tendências do mercado é fundamental para quem quer inovar. E foi isso que nossos partners e aceleradores LG Lima e Sulivan Santiago foram fazer quando embarcaram para São Francisco na semana passada.

Eles acompanharam de perto a reunião anual da SaaStr, o principal evento de discussão para quem trabalha com software como assinatura.

A programação do evento é bem detalhada e eles conseguiram assistir 15 palestras. E como não vale de nada absorver conteúdo e não espalhar por ai, eles prepararam um super post para o blog da ACE, com todas as anotações que fizeram durante o evento.

São muitas lições fundamentais não só para quem tem um SaaS, mas para todo mundo que empreende de qualquer forma!

# Caminho para o Exit

 

Qual o caminho ideal para que uma startup chegue a um exit que seja bom para seus fundadores e atrativo para os investidores? Essa é a questão de um milhão de dólares (de muito mais que isso, na verdade), quando falamos sobre investimento.

A Crunchbase fez um levantamento histórico para reconhecer quais eram as características que levavam a uma maior geração de valor para os investidores.

Uma das respostas mais interessantes é que ter uma porção de fundos de investimento fazendo parte do negócio normalmente dificulta a vida na hora da saída. No final das contas, não existe uma receita de bolo, mas em geral os melhores resultados são de quem levantou dinheiro de forma mais prudente ao longo da jornada.

# Curtinhas

  • Alphabet x Uber A Alphabet resolveu que não vai mais se contentar só em desenvolver tecnologia de carros autônomos para outros usarem. A empresa anunciou que até o final deste ano deve lançar seu próprio aplicativo de caronas. Pelo jeito a briga entre Alphabet e Uber não vai ficar só nos tribunais.
  • Parque dos nerds A Disney divulgou mais alguns detalhes do parque temático de Star Wars. Para quem é fã de Luke, Leia, Darth Vader e companhia, parece que vai ser um pedacinho no paraíso. A ideia é que a inauguração aconteça no ano que vem.
  • Mais que os suíços A Apple vendeu 8 milhões de Apple Watches no último trimestre do ano passado. Para você ter uma ideia de como isso representa bastante, o volume é maior do que todos os fabricantes suíços de relógio somados!
  • AI nos contratos Startups impactam os mais diversos mercados. Um artigo da Harvard Business Review mostra como as lawtechs que investem em inteligência artificial têm mexido com a administração de contratos dentro das empresas. Por sinal, aqui na ACE nós adoramos lawtechs e se você tem uma boa startup na área, não deixe de se inscrever para nosso programa de aceleração!
  • A diversidade é minha A Microsoft contratou a chefe das políticas de diversidade da IBM. Só que a IBM diz que essa é uma área muito estratégica e sensível de seu negócio (de fato eles são referência nisso) e entrou com um processo para impedir a contratação.
  • Você é esperto ou trabalhador? Essa é a pergunta que o CEO do Burger King faz em todas as entrevistas de contratação que comanda. Segundo ele, sua preferência vai sempre para os trabalhadores - que são muito mais humildes e persistentes do que os outros.

Por hoje é só! Espero que tenha gostado da edição de hoje (e que já tenha garantido seu ingresso para o Growth Summit BR, porque esse evento vai ser incrível e quero encontrar muitos leitores da Growthaholics por lá).

Um abraço,
Pedro Waengertner
CEO - ACE
#GoACE | Twitter | Facebook | LinkedIn | Instagram