Além de uma super seleção de filmes para empreendedores, falo da fortuna do Jeff Bezos e de dois movimentos importantes de M&A dessa semana.

Oi,  ,

Tudo bom?

Se você é um dos quase 25 mil fãs da Growthaholics, posso presumir que você gosta de newsletters sobre inovação, empreendedorismo e startups. Então antes de começar a edição de hoje deixa eu te convidar para ver a seleção que fizemos aqui na ACE com as 11 melhores newsletters para quem empreende.

Depois me escreve contando se deixamos alguma muito importante de fora (quem sabe sai uma segunda versão dessa lista, né?).

# Tem no Netflix

Quase toda semana faço alguma nota aqui na newsletter falando sobre a Netflix. Mas dessa vez o assunto não é bem a empresa, e sim os conteúdos que estão disponíveis por lá.

É que perguntamos para os empreendedores e para o time da ACE quais eram os filmes que mais tinham influenciado em suas trajetórias. E as respostas foram tão bacanas que a gente resolveu publicar as melhores lá no nosso blog.

Por falar no blog, essa semana ele está super recheado de conteúdos especiais. Meu amigo Sandro Magaldi, fundador do meuSucesso.com, escreveu um post especialmente para nós, em que ele fala da ligação que tem com a ACE e também o que ele acha que falta para o empreendedorismo mudar o Brasil.

Outro texto imperdível é o que o nosso acelerador LG Lima escreveu sobre os modelos de monetização de plataforma. É o segundo texto da série que começou com uma brilhante explicação desse modelo de negócios, chamado popularmente de marketplaces.

# Cem vezes bilionário

Semana passada teve Black Friday e tenho certeza que, seja lá quais ofertas você aproveitou, com certeza não se deu tão bem quanto o Jeff Bezos. É que com a valorização das ações da Amazon durante a mega promoção, o bilionário ficou ainda mais bilionário.

Sua fortuna passou a ser estimada em US$ 100 bilhões. Ele é o segundo homem a atingir essa marca. O primeiro foi Bill Gates, no auge da Microsoft, em 1999 (pouco antes de a bolha do "ponto com" estourar).

Bônus: Falando em promoções, a Cyber Monday (uma espécie de Black Friday, mas só das lojas online) obteve uma marca histórica este ano. Pela primeira vez o valor de compras realizadas a partir de tablets e smartphones ultrapassou os US$ 2 bilhões. Para se ter uma ideia, há 3 anos esse foi o valor total das vendas no dia.

# Compra coletiva

As duas maiores empresas de compras coletivas do Brasil uniram suas operações na América Latina. Peixe Urbano e Groupon não revelaram o valor do negócio, mas a partir de agora juntaram forças para trabalhar em todo o mercado brasileiro.

A negociação foi liderada pelo fundo Mountain Nazca, que era dono do Groupon na América Latina desde o início deste ano. A ideia é que, juntas, as empresas dominem uma fatia de 20% do mercado brasileiro de O2O (online-to-offline), que é estimado em R$ 1 trilhão.

# Carteira aberta

Quem está com um bom apetite para compras é a WeWork. A rede de coworkings (se é que podemos continuar chamando ela apenas disso) fez sua quinta aquisição este ano - sem contar as compras de participação minoritária. Antes, em seus 7 anos de história, a empresa só tinha fechado outros dois negócios do tipo.

A compra da vez é da Meetup, uma plataforma que pretende conectar pessoas no mundo offline. O cheque foi estimado em US$ 200 milhões - o que representa 1% do valor de mercado da WeWork, de US$ 20 bilhões.

# Em busca de uma nova mágica

Com certeza você se lembra da febre do Pokémon Go. Mas se você acha que a empresa responsável pelo desenvolvimento do joguinho, a Niantic, ia se contentar em ser uma startup de um sucesso só, está enganado.

A empresa levantou US$ 200 milhões do fundo Spark Capital para fazer um novo jogo de realidade aumentada, agora no universo do Harry Potter.

Com Pokémon Go, a Niantic faturou US$ 1 bilhão em menos de 6 meses. Será que o bruxinho vai conseguir fazer alguma mágica para superar esse valor?

# Curtinhas

  • De saída Peter Thiel foi um dos primeiros investidores a acreditar no Facebook. Agora ele vem, aos poucos, se desfazendo de suas ações da empresa. Na época do IPO da rede social, ele tinha quase 43 milhões de ações e agora restam menos de 60 mil em seu poder. Apesar disso, Thiel mantém um lugar no conselho - e Zuckerberg disse que deve continuar assim. 
  • Palestras Amanhã e sábado, o Rio de Janeiro recebe mais uma edição do Wired Festival. Entre os palestrantes estarão o head de marketing da ACE, Felipe Collins, e empreendedores que passaram pela nossa aceleração, como Paul Malick, da Flapper, Lucas Bittencourt, da Nuper, Mayte Carvalho, da b.pass, e Guilherme Ebisui, da Poppin. 
  • Melhor quebrar? Segundo Jon Evans, colunista do Techcrunch, a melhor coisa que poderia acontecer para a Tesla é falir o quanto antes. Isso porque, na visão dele, uma empresa que não tenha o objetivo de fazer dinheiro não faz sentido. E Elon Musk já falou mais de uma vez que se preocupa mais com a inovação do que com o dinheiro que ela vai trazer. Eu sou tão fã dele que as vezes é bom ler uma notícia como essa para dar uma calibrada.

 

Antes de concluir, quero dar uma boa notícia. Sabe o Dashboard Completo para SaaS, que comentei aqui há algumas semanas? A partir de agora ele será distribuído em parceria com nossos amigos do SaaSholic, que vão nos ajudar com conteúdos e outros materiais para quem adota esse modelo de negócio. Legal, né?

Depois conta essa novidade para todos os seus amigos que tem SaaS. E não esquece de indicar a Growthaholics para todo munto também, hein?

Um abraço,
Pedro Waengertner
CEO - ACE
#GoACE Twitter | Facebook | LinkedIn | Instagram

Not rendering correctly? View this email as a web page here.